Os pés pelas mãos

José Horta Manzano

Petroleo 2Os pés pelas mãos, o continente pelo conteúdo, bolas trocadas, linha cruzada ‒ tanto faz. O título deste artigo chama a atenção do distinto leitor para uma certa miopia com que repórteres e escrivinhadores estão observando a Operação Lava a Jato, ação de limpeza pública nunca dantes vista neste país.

A dita operação, que anda parecendo cartola de mágico de onde sempre sai mais um coelho, privilegiou a investigação de rapinagem e desmandos cometidos contra a Petrobrás. Foi e continua sendo eficaz. Dezenas de indivíduos já foram desmascarados, julgados e apenados. Grande parte deles estava ligada a roubos que prejudicavam e emperravam a petroleira nacional.

Tão persistente e profunda foi a gatunagem que, poucos meses atrás, ninguém dava um tostão furado pela empresa assaltada. A importância das ações da companhia baixou ao ponto de não valerem dois réis de mel coado.

A ação vigorosa e os desdobramentos da Lava a Jato estão na raiz do saneamento da Petrobrás. As falcatruas perpetradas durante mais de dez anos de desmando haviam feito despencar o valor da empresa. Se hoje suas ações valem mais é justamente por causa da operação jurídico-policial e não apesar dela.

Chamada do Estadão, 24 out° 2016.

Chamada do Estadão, 24 out° 2016.

Portanto, a chamada do Estadão diz o contrário do que deveria dizer. A Petrobrás não começa a «reverter» efeitos da Lava a Jato. Muito pelo contrário. A Petrobrás começa a se revigorar, a reflorir, a renascer como resultado da Lava a Jato. Do jeito que está escrito, fica a impressão de que a Operação Lava a Jato é culpada pela débâcle da Petrobrás, quando o que aconteceu foi justamente o contrário. A melhora que aponta no horizonte é consequência da operação de limpeza.

O título bizarro terá sido um escorregão, uma distração, um desleixo. Sinceramente, espero que não passe disso. Caso quem deu à matéria esse título esteja convencido que a Lava a Jato «atrapalhou» o bom andamento dos negócios da maior empresa brasileira, estamos mal. Essa toada combinava com os tempos da doutora. Nunca imaginei que algum jornalista bem-intencionado ainda pudesse cair na esparrela depois de tudo o que aconteceu.

Um pensamento sobre “Os pés pelas mãos

  1. Jornalista também padece de falta de educação e cultura e o resultado aparece em matérias elaboradas com pesquisa mal feita e baixa compreensão do problema.

    Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s