O castelhano ― uma língua multipolar

Alberto José Miyara (*)

«O castelhano é a única língua multipolar do mundo. Idiomas como francês e alemão são monopolares: sabe-se que seus destinos se determinam na França e na Alemanha. A Suíça, a Bélgica, a Áustria ou o Québec são bem-vindos para engordar o número de falantes, mas, na hora das definições, têm direito a uma atenção meramente protocolar.

O inglês e o português são bipolares. A Inglaterra e Portugal, por serem o berço de cada uma dessas línguas, exercem, na hora das decisões, peso bem maior do que poderia sugerir a relativa importância de suas economias diante dos Estados Unidos e do Brasil. (O Canadá ou a Austrália ficam fora de toda negociação, assim como Angola e Moçambique.) O resultado é que os países que constituem essa bipolaridade nem sempre chegam a um acordo, o que se reflete nas ortografias irritantemente distintas entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos e entre Portugal e o Brasil.

Mas em castelhano as coisas são diferentes. (…)»

Para ler o texto integral (em espanhol), clique aqui.

Interligne 18c

(*) Alberto José Miyara é poeta, escritor e engenheiro argentino. O excerto reproduzido acima aparece na introdução de seu interessantíssimo Diccionario Argentino-Español.
Sua obra poderia ser comparada, por exemplo, a um glossário do falar brasileiro destinado a leitores portugueses.

Glossário

José Horta Manzano

Aqui está um Pequeno Glossário do Português Atual. Alguns de vocês já devem ter visto, mas sempre vale a pena ver de novo. É boa receita para alegrar um sábado.Glossario

ABREVIATURA    —    ato de abrir um carro de policia
ALOPATIA    —   dar um telefonema para a tia
BARBICHA    —   boteco para gays
CÁLICE    —   ordem para ficar calado
CAMINHÃO    —   estrada muito grande
CATÁLOGO    —   ato de apanhar coisas rapidamente
COMBUSTÃO    —   mulher com peito grande
DESTILADO    —   tudo o que estiver do lado de cá
DETERGENTE    —   ato de prender indivíduos suspeitos
DETERMINA    —   ato de prender uma garota
ESFERA    —   animal feroz já amansado
HOMOSSEXUAL    —   sabão em pó indicado para lavar as partes íntimas
LEILÃO    —   Leila com mais de 1m80 de altura
KARMA    —   expressão usada em MG para serenar ânimos
LOCADORA    —   uma mulher de nome Dora com problemas mentais
NOVAMENTE    —   diz-se de indivíduos que renovam sua maneira de pensar
OBSCURO    —   “OB” de cor preta
QUARTZO    —   partze ou aposentzo de um apartamentzo
RAZÃO    —   lago muito extenso e pouco profundo
RODAPÉ    —   aquele que já teve carro mas agora vai a pé
SAARA    —   muulher do Jaacó
SEXÓLOGO    —   sexo apressado
SIMPATIA    —   quando se concorda com a irmã da mãe
SOSSEGA    —   mulher desprovida de visão
TALENTO    —   característica de movimento reduzido
TÍPICA    —   o que o mosquito nos faz
UNÇÃO    —   erro de concordância muito freqüente (o correto seria um é)
TIÇÃO    —   variante do mesmo erro
VATAPÁ    —   ordem dada por prefeito de cidade esburacada
VIDENTE    —   dentista relatando seu trabalho
VOLÁTIL    —   sobrinho avisando aonde vai

Lunfardo

Buenos Aires

Você sabia?

José Horta Manzano

Lunfardo é a gíria que nasceu e cresceu em Buenos Aires, na malavita portenha, no submundo dos fora da lei. Com o passar das décadas, um número cada vez maior de expressões foi caindo, digamos assim, no “domínio público”. Palavras e expressões antes reservadas a bandidos são hoje utilizadas no dia a dia por pessoas comuns.

Surpreendentemente, muitos desses termos de argot argentino passaram ao português brasileiro. Não se sabe direito se atravessaram a fronteira ou se vieram de contrabando embutidos na letra de velhos tangos. Talvez um pouco de cada. O fato é que usamos, sem saber, gíria importada. Para os ultranacionalistas, pode até parecer um escândalo. No fundo, é simplesmente um aporte a mais, uma contribuição para a riqueza de nossa fala.

Aqui está uma pequena coletânea de expressões lunfardas e suas correspondentes brasileiras

Lunfardo       Brasileiro
———————————————————————–
Machete          Macete (ajuda-memória)
———————————————————————–
Malandro         Malandro
———————————————————————–
Pirao                 Pirado
———————————————————————–
Mamado            Mamado (bêbado)
———————————————————————–
Campana         Campana (ajudante de ladrão que vigia)
———————————————————————–
Mancar             Se mancar (compreender)
———————————————————————–
Cana                 Cana (prisão)
———————————————————————–
Matina              Matina (manhã cedo)
———————————————————————–
Mortadela         Presunto (cadáver)
———————————————————————–
Patota               Patota (bando)
———————————————————————–
Punga              Punguista (batedor de carteira)
———————————————————————–
Vivo                  Vivo (astuto)
———————————————————————–
Bacanazo         Bacana (refinado)
———————————————————————–
Bancar               Bancar (pagar)
———————————————————————–
Dar bola           Dar bola (prestar atenção)
———————————————————————–
Bronca             Bronca (raiva)
———————————————————————–
Chupado         Chupado (bêbado)
———————————————————————–
Burro                Burro (ignorante) (1)
———————————————————————–
Tira                   Tira (investigador de polícia)
———————————————————————–
Labia                 Lábia
———————————————————————–
Mina                 Mina (moça)
———————————————————————–
Llenar               Encher (aborrecer)
———————————————————————–
Lleno                Cheio (mal-humorado)
———————————————————————–
Cabrero            Cabreiro (furioso)
———————————————————————–
Mangos            Reais (dinheiro)
———————————————————————–
Caradura          Caradura
———————————————————————–
Catinga             Catinga (mau cheiro corporal)
———————————————————————–
Manyado           Manjado (conhecido)
———————————————————————–
Chumbo            Chumbo (bala de revólver)
———————————————————————–
Pechar               Peitar
———————————————————————–
Coco                  Coco (cabeça)
———————————————————————–
Gozar                 Gozar (zombar) (2)
———————————————————————–
Grupo                Grupo (mentira, história inventada)
———————————————————————–
Gurí                    Guri (criança) (3)
———————————————————————–

(1) Normalmente, burro é usado para qualificar alguém cabeçudo
(2) Os espanhóis usam gozar com o sentido de passar um bom momento. Para dizer zombar, preferem mofarse
(3) Alguns etimólogos atribuem a essa palavra origem tupi, o que explicaria que se encontre no castelhano platino e também no português do Brasil