Yo no me vendo por dinero

José Horta Manzano

A donna bella io non mi vendo a prezzo di moneta.

A mulher bonita, eu não me vendo por dinheiro.

Tosca, opera em três atos
Libretto: Illica & Giacosa
Musica: Giacomo Puccini
Clique sobre a imagem

Fragmento de ária cantada pelo Barão Scarpia, no segundo ato da ópera Tosca, de Giacomo Puccini.

Interligne 18b

Leio, com surpresa, que um jogador de futebol está lançando sua autobiografia. O rapaz tem 24 anos! Tento me lembrar de quando eu tinha essa idade, faz tanto tempo. Não tinha grande coisa que relatar. Minha biografia teria cabido em dez linhas. Mas cada um tem sua história, a do moço há-de ser bem recheada.

Que será que alguém tão jovem terá para contar que desperte interesse em tanta gente? Quem tiver atravessado uma guerra terá histórias intensas pra botar no papel. Quem tiver sido raptado por marcianos ou fugido da Coreia do Norte, idem. Mas um jovem magricela que, apesar de ser bambambã em seu esporte e já ter ganhado baldes de dinheiro, começou a carreira anteontem… que terá de tão sublime a escrever?

Para ler a reportagem de Antena 3, clique sobre a foto

Para ler a reportagem de Antena 3, clique sobre a foto

Olhe lá, não me entenda mal. De tempos em tempos, até aprecio assistir, pela tevê, a alguma competição esportiva. Mas nem por isso tenho ligação visceral com o ramo. Não tenho nada contra o rapaz ― que continue ganhando seus jogos e suas cachoeiras de dinheiro. O que me intriga é o fato de moço tão novo ser polivalente: esportista e escritor. Por incomum, é admirável.

Como tira-gosto, os jornais publicam uma frase do livro: «Yo no me vendo por dinero». Não pude deixar de associá-la à fala de Scarpia no segundo ato da Tosca, quando o chefe da Polícia chantageia a protagonista para obter seus favores carnais. Mas o contexto é outro.

Vamos em frente, que a Copa é nossa!