Lewandowski perdeu!

José Horta Manzano

Depois de meia hora empolgante, a partida de futebol entre Polônia e Portugal, jogada ontem em Marselha pelas quartas de final da Eurocopa 2016, empacou.

Foi até um certo ponto. Depois, parou. Não atava nem desatava. Nem parecia um mata-mata. Parecia que se tratava de um amistoso. E assim foi até o fim.

Robert Lewandowski, futebolista polonês

Robert Lewandowski, futebolista polonês

Em virtude do empate (1 x 1), foram à prorrogação. Sem vencedor, os dois times tiveram de encarar o cara ou coroa chamado disputa por pênaltis.

Apesar de contar com o apoio da maioria da torcida presente no estádio, um dos jogadores da seleção polonesa ‒ cujo capitão é Robert Lewandowski ‒ perdeu o pênalti.

A ‘equipa’ lusa acertou todos. Ganhou a aposta e está nas semifinais. Lewandowski perdeu.

2 pensamentos sobre “Lewandowski perdeu!

  1. José….. não conhecia esse seu lado de interessado em Futebol !!!!
    Não concordo que pênalti seja “cara ou coroa”, cobrança de pênaltis requer antes de qualquer coisa, de muito preparo/treinamento.

    Curtir

    • Luis, caro amigo,

      Interesse por futebol talvez não seja a melhor maneira de descrever o que sinto. Eu diria que gosto muito, que aprecio esse esporte. Ora pois!

      Diferentemente de outras modalidades ‒ como tênis, basquete, volley ‒ o futebol é imprevisível: o vencedor não é necessariamente a melhor equipe. Os movimentos são variados e, a meu ver, muito elegantes.

      Os pontos são raros. Um resultado com três gols no total já é considerado muito bom. Um ponto (um gol) pode ser conquistado a meio minuto do fim da partida e tem, às vezes, o dom de mudar completamente o cenário. Isso traz suspense ao futebol.

      Além disso, é dos raros esportes que podem terminar com um empate. É coletivo, mas dá também ocasião a bons jogadores de sobressair.

      Assisti a quase todas as partidas da Eurocopa. Só saltei alguma quando outros afazeres me impediram.

      Acho que tinham de inventar outro critério de desempate para jogos do tipo mata-mata, como o de ontem. Houve um tempo em que se cogitou oficializar o «gol de ouro», também conhecido como «morte súbita». Depois da prorrogação, caso o empate persistisse, o jogo continuava. E o primeiro que fizesse um gol levava a taça. O método, não sei por que, encruou. Era mais empolgante e menos cruel que o desempate nos pênaltis.

      Forte abraço.

      Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s