A era DDD: demônios em dose dupla

Myrthes Suplicy Vieira (*)

Rudolf SteinerDe todas as parábolas que já me contaram um dia, uma me despertou interesse especial. Segundo a Antroposofia, definida por seu criador Rudof Steiner como ‘ciência espiritual’ que tem ramificações nos campos da medicina, educação e agricultura, a humanidade é acossada continuamente por dois demônios: Árimã e Satã.

Esses dois seres ardilosos agiriam em estreita parceria, ainda que, superficialmente, possam parecer inimigos. Numa espécie de mecanismo de pêndulo, eles se alternam para atrair o homem para suas respectivas áreas de domínio. Satã, por seu lado, prometendo o poder material e os prazeres carnais. Árimã, por outro, prometendo o poder espiritual e os prazeres transcendentais. Dessa forma, quando a pessoa respira aliviada, acreditando que escapou das garras de um deles, já caiu sem o perceber na esfera de influência do outro.

Polarite 6Steiner conceitua o homem como um ser que tem a cabeça no céu e os pés firmemente plantados no inferno. Misto de criatura escrava dos desejos animais e, ao mesmo tempo, eterno aspirante à iluminação e à bem-aventurança. Sem dúvida, uma comovente analogia da dupla natureza humana, capaz de aprofundar a compreensão a respeito de nosso funcionamento psíquico.

Polarite 2Enquanto Satã age para o homem afundar cada vez mais no plano material e extrair seu gozo da conquista de poder, dinheiro e sexo, Árimã o convida a asceticamente virar as costas para os prazeres mundanos, purificar o corpo para encontrar paz interior e poder experimentar, então, as glórias espirituais. Sugado com força igual por esses dois ímãs, o homem teria como missão de vida a tarefa de manter-se equidistante – daí sua postura vertical, ao contrário da dos animais – tentando buscar o equilíbrio possível entre todas essas pulsões.

Polarite 5Essa história voltou com força à minha cabeça quando eu tentava encontrar um ponto de apoio intelectual para entender recentes acontecimentos em nosso país e no mundo. Corrupção, descalabro moral, intolerância social, religiosa e política, desastres ambientais, terrorismo, guerras separatistas, lutas fratricidas, disseminação do egocentrismo, miopia no trato das diferenças, morte do altruísmo – a lista é interminável e permite supor que esta já é, sem dúvida, uma das eras mais prolíficas para a dupla demoníaca em toda a história da humanidade.

Polarite 4Totalitárias de ambos os lados, as facções extremistas que atuam ao lado de Árimã perseguem com interminável voracidade assassina tudo o que representa movimento de expansão, contato, acolhimento, alegria, prazer, confraternização, conciliação ou coexistência pacífica neste plano, já que não toleram o prazer que a proximidade de corpos provoca. Já as que se aliaram a Satã atormentam incansavelmente a mente dos que aspiram secretamente a se regalar num festival orgástico de acumulação de riquezas e tráfico de influência, mesmo que isso seja conseguido às custas do sangue, suor e lágrimas dos demais à sua volta.

Polarite 3Difícil dizer qual das duas pulsões é mais cruel e danosa para o psiquismo humano. Para mim, o que encanta nessa parábola é a revelação da parceria não explicitada entre os dois polos. Ao contrário do que sustentam todas as demais vertentes religiosas, esta afirma com todas as letras que não é só o desejo do gozo material que é diabólico. Também a aspiração de posse de bens espirituais pode ser vista como demoníaca, se o foco do indivíduo está no ego e não no ‘self’ – ou, em outras palavras, se ele busca o céu só para si e não para toda a humanidade.

A mão que mata por negar comida e água é a mesma que aniquila negando liberdade de expressão e de autoafirmação. A cabeça que engendra planos mirabolantes para destruir corpos é a mesma que não se constrange em destruir almas.

Polarite 1Controle, subjugação e domínio absoluto sobre o corpo, os pensamentos, os sentimentos e o espírito do outro são as aspirações-chave não só do terrorista que se explode em via pública, mas também do homem que violenta e mata a mulher amada, do adulto que seduz sexualmente crianças, dos jovens que praticam bullying contra colegas, do cidadão que agride moral ou fisicamente pessoas de outras raças, estratos sociais, crenças ou orientação sexual, do político que desvia verbas públicas destinadas ao atendimento da população carente, do religioso que apedreja e desqualifica os praticantes de outra fé, do homem que envenena os cursos de água, polui o ar e a terra e destrói florestas.

Assim caminha a humanidade nessa nossa era DDD….

Interligne 18h

(*) Myrthes Suplicy Vieira é psicóloga, escritora e tradutora.

2 pensamentos sobre “A era DDD: demônios em dose dupla

  1. Há algum tempo passado, havia lido algo s/ a ANTROPOSOFIA, de Rudolf Steiner; achei-a interessante e coerente, mas não mantive continuidade… Com este artigo da Psicóloga Myrthes, reacendeu-me a vontade de reiniciar a leitura de trabalhos deste filósofo (ainda tenho guardados alguns livros, felizmente…) ><

    Curtir

    • Lauro,
      Um dos meus livros preferidos do Steiner é “O Conhecimento dos Mundos Superiores”. Não sei, no entanto, se você vai encontrar facilmente a referência aos dois demônios. Essa história me foi contada por meu médico antroposófico, uma pessoa que admiro quase tanto quanto o próprio Steiner. Que bom que meu artigo reacendeu sua vontade de voltar a se aproximar da Antroposofia.

      Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s