Comunicar Bolsonaro?

José Horta Manzano

Manchete do Estadão, 16 maio 2020

Com muita frequência, vê-se o verbo comunicar empregado como transitivo direto. Na acepção de ‘dar informação a alguém’, não funciona assim. Quem escreveu a chamada estava pensando no verbo informar – e copiou-lhe a regência. Enganou-se.

Quem comunica, comunica algo a alguém. Esse alguém é objeto indireto, introduzido pela preposição a. Portanto: «… comunica a Bolsonaro … ».

Pra substituir o cerimonioso comunicar, por que não usar simplesmente informar ou avisar? São verbos de todos os dias, fáceis de usar e de entender, e dão o recado certinho. Ficaria assim: «Celso de Mello manda oficial de justiça avisar Bolsonaro…» ou «Celso de Mello manda oficial de justiça informar Bolsonaro…». Pronto: simples e sem erro.

Generosa, a língua põe ainda outros verbos à disposição: notificar, cientificar, prevenir. Dado que todos eles pedem objeto direto, a frase ficaria como aparece no jornal. Há ainda o verbo participar, só que ele, como comunicar, pede objeto indireto.

Como é que é? ‒ 7

José Horta Manzano

Chamada de O Globo, 14 out° 2018

Por mais irresistíveis que sejam os pratos, é bom tomar cuidado com a correção. Certos erros podem dar dor de barriga.

Resistir não pede objeto direto, mas indireto com preposição. Quem resiste, resiste a alguma coisa. Esse a tem de reaparecer sempre que o verbo resistir for utilizado.

A manchete teria ficado bem mais digesta se estivesse escrito: “pratos infantis aos quais os adultos não resistem”.