Vacina pra quem pode?

José Horta Manzano

O Brasil é realmente um lugar estranho. No mundo civilizado, a epidemia de covid foi encarada em cada país como problema nacional. Como tal, foi enfrentada pelo poder público.

Na Europa, pelas informações que tenho, a vacinação anticovid foi encampada em todos os países pelo governo central. Em todos eles, a compra, a distribuição e a aplicação da vacina foram atribuição exclusiva do sistema público de saúde.

Me surpreende a notícia de que o presidente Bolsonaro deve assinar, nos próximos dias, uma medida provisória liberando a vacinação privada contra a covid.

Ao entregar a vacinação à iniciativa privada, nosso governo está abrindo mão de sua prerrogativa de coordenador da saúde pública. Por que razão faz isso? Que interesses estarão por detrás da decisão governamental? Não ficou claro.

O efeito colateral é a reafirmação da desigualdade entre cidadãos. Quem puder desembolsar R$ 300 para a picada, receberá vacina de primeira linha. Os outros? Que se danem. Todo o mundo tem que morrer mesmo.