Para encurtar caminho

José Horta Manzano

A tendência que os falantes têm de encurtar caminho e descobrir atalhos na língua assume diferentes roupagens. Por exemplo, numerosos verbos que costumavam ser pronominais estão deixando de sê-lo.

Mais e mais frequentemente, se ouvem frases como:

“Ele não acostuma com essa vida de casado” (em vez de ele não se acostuma)

ou

“Eu não importo de ficar esperando aqui” (em vez de eu não me importo).

A atual pandemia ergueu ao palco um verbo antes menos comum: vacinar. Temos de constatar que ele também está entrando na categoria dos que vão deixando de ser pronominais.

O recorte reproduzido no início do post está aí pra provar. Diz ele que “vacinar é motivo de vergonha”. Em outros tempos, a manchete seria “tomar vacina é motivo de vergonha” ou também “vacinar-se é motivo de vergonha”. O mundo evolui, e a língua vai junto.

Mas atenção, juventude! Quem estiver mandando bilhete para a namorada pode escrever do jeito que quiser. Já quem estiver em situação mais formal é bom tomar cuidado.

Namorada dá desconto; erro em prova tira ponto!

Vacinar = dar vacina, aplicar vacina.

Vacinar-se = receber vacina, ser vacinado.

Na dúvida, diga: “tomar vacina”. É mais simples, resolve o problema, não tira pontos e, ainda por cima, protege contra a doença.

4 pensamentos sobre “Para encurtar caminho

    • Eu diria que essa ‘começão de pronome’ não tira a clareza nem a expressividade da frase. Se ainda houver humanidade daqui a um século, é possível que estejam todos falando e escrevendo assim.

      Observo que, apesar da fama de rigor, o francês segue a mesma tendência. Por aqui, certos verbos já dispensam o pronome para assumir caráter reflexivo:

      “elle va divorcer” – ela vai (se) divorciar,

      “il a déprimé” – ele (se) deprimiu,

      “j’hallucine” – eu (me) alucino.

      Como você vê, não estamos sozinhos.

      Curtido por 1 pessoa

  1. Outro problema sério é a não-combinação do pronome reflexivo com o sujeito, tipo ‘nós vamos se vacinar’. Um caso muito engraçado ocorreu na seleção de trainees de gerência. A primeira pergunta feita a um candidato foi: “Quando é que você se forma?”. Ele respondeu de pronto:
    “Eu SE formo no fim do semestre”. Foi obviamente rejeitado na seleção, após uma entrevista de menos de 2 minutos. O dito cujo saiu enfurecido, ameaçando processar a empresa.

    Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s