A vergonha fumacenta

José Horta Manzano

Faz semanas que se alevanta a grita pelo impeachment do presidente da República.

Ontem, um Brasil atônito assistiu a um folclórico desfile de fumacentos calhambeques que vagamente lembravam tanques de alguma guerra do passado. Foi espetáculo grotesco capaz de envergonhar o inexistente exército da Costa Rica. Com isso, a temperatura subiu alguns graus.

Ato contínuo, o PDT, partido que já foi de Brizola e hoje é de Lupi, apresentou à PGR pedido de perícia e interdição do presidente Bolsonaro por incapacidade mental.

Erraram. O pedido certo era de interdição por burrice. Acertavam no milhar.

2 pensamentos sobre “A vergonha fumacenta

  1. Eu acho que Bolsonaro nos fez um favor desde que tomou posse e levou com ele dezenas de militares para ajudá-lo a governar: acabou de uma vez por todas com o mito de que todo militar é honesto e competente.

    Curtir

    • Tem razão. Militar, agricultor, dentista, metalúrgico ou pescador – nenhum deles é melhor nem pior que outro. Há pérolas e estropícios por toda parte. Mas é verdade que militares tinham aura de santidade mais brilhante que a dos demais. Está agora um pouco trincada, mas tudo tem conserto.

      Assim que vier o pós-Bolsonaro, que se espera o mais brevemente possível, a imagem do militar impoluto vai, aos poucos, recobrar lustro. Desde que mantenham respeitosa distância do poder, naturalmente.

      Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s