O mingau

José Horta Manzano

O pedido de prisão de nosso guia, feito pelo MP de São Paulo, está dando pano pra mangas. A notícia apanhou meio mundo de surpresa. Todos imaginávamos que viria um dia, mas ninguém acreditava que o pedido fosse feito agora. Até a televisão suíça dedicou um bloco ao assunto.

Analistas, que ainda não tiveram tempo pra digerir a notícia, emitem opiniões contrastadas. Há os entusiastas incondicionais, que aplaudiram de pé. Há os moderados, que enxergam nessa informação um lado bom mas um caminho pedregoso. Há, por fim, os reticentes, que acreditam que o pedido de prisão foi intempestivo, despropositado. Quanto a mim, não me encaixo em nenhuma das categorias, muito pelo contrário!…

Mingau 1Acredito que, se o pedido for excessivo, o juiz designado não o acolherá. Muitos cogitam que a súbita intromissão do MP paulista possa “enfraquecer” a Operação Lava a Jato ‒ seja lá o que isso possa querer dizer.

Quanto a mim, não acredito que o que ocorreu ontem tenha influência nas investigações diligenciadas desde que a Lava a Jato foi lançada. Não me parece que nosso guia saia desse episódio reconfortado. As evidências e os indícios de crimes e de ilegalidades acumulados até agora são uma baciada.

IMingau 2Isso tudo me faz lembrar esses filmes americanos em que aparece briga de soco. Nenhum dos contendores vai a nocaute com um golpe só. Um dá um soco, o outro cai, levanta-se, revida, o primeiro cai, levanta-se, revida. E assim por diante. A cada pancada, o bandido vai ficando mais fraquinho. No final, o mocinho sempre vence. Pelo menos, nos filmes.

Ainda que nosso guia não vá para trás das grades desta vez, o golpe não há de lhe ter feito bem. Se ainda não se esborrachou no chão, está cada dia mais combalido. O personagem que já foi visto como semideus vai-se dessacralizando inexoravelmente.

Como se diz nas Minas Gerais, mingau se come pelas bordas. Não convém enfiar a concha no meio da gamela, que o perigo de se queimar é tremendo. Vamos com calma que, aos pouquinhos, o prato se vai esvaziando.

3 pensamentos sobre “O mingau

  1. Eu também fiquei surpresa com as reticências levantadas por muitos juristas e políticos de partidos adversários. O medo de que se possa estar cometendo uma arbitrariedade capaz de eliminar os avanços conquistados até aqui é tão generalizado que ontem à noite decidi chama-lo de “antevéspera do gozo”. Dizia meu professor de psicanálise que a característica mais marcante dos histéricos é surfar na crista da onda do prazer, sem jamais deixar que ela se quebre e possa derruba-los. Também acho que “nosso guia” é apenas a borda mais fria de todo esse mingau político. Domingo vamos ter de meter a colher um pouco mais para o centro do prato.

    Curtir

  2. Sem dúvida as controvérsias são muitas em relação a atitude do MP Paulista e a todas acrescente-se mais uma, o insistente convite por parte do Governo Federal para que o ex-presidente assuma o cargo de ministro podendo então ter foro privilegiado. Outra postura afirma que o MP Paulista tomou essa posição porque se sentiu forte para agir visto saber que o MPF de Curitiba tem provas irrefutáveis sobre o ex-presidente. Com mingau aguardando ou não esfriar sabemos que a situação esta muito quente!

    Curtir

  3. e agora apareceu a possibilidade de um ex presidente de uma nação ser preso por ter roubado talheres (!), pior do que isso só se tivesse roubado uma galinha, rs

    Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s