Diz que diz e cai não cai

José Horta Manzano

Está cada dia mais aflitivo o que se passa pelas bandas do Planalto. Se ainda viva fosse, a Candinha ‒ aquela dos mexericos ‒ ficaria roxa de inveja. O diz que diz é digno de cortiço. Nem durante as brigas de minha vizinha do apartamento de baixo se vê tanta roupa suja lavada em público. E olhe que minha vizinha, quando se enfeza, aborda o marido aos berros e nele atira pratos, cobras, lagartos e o que mais lhe passe por perto. No Planalto, lugar excelso da República, é pior.

Os Bolsonaros
Crédito: vespeiro.com

Fofocas, insultos, hesitações, ataques, retratações, acusações, desmentidos ‒ têm sido nosso prato do dia há duas semanas. Os grão-duques do lulopetismo assaltavam o erário, é verdade, mas pelo menos o faziam discretamente. A gente empobrecia mas conservava o sorriso dos ingênuos. Já atualmente, o clima conflagrado irrita o povo e emperra o bom andamento da nação. Não nos roubam dinheiro, mas surrupiam-nos a paciência e confiscam-nos o sorriso.

Uma simples troca de ministros, fato que ocorreu às dúzias em governos anteriores, transformou-se num circo midiático, espetáculo servido à prestação, com picantes capítulos diários. Um espanto. Agora que o ministro cai-não-cai já se foi, resta torcer pra que a turma do palácio endireite. Se não for pedir muito. Desconfio que é.

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s