Falam de nós – 1

0-Falam de nósJosé Horta Manzano

Bella Ciao
O portal francês Bella Ciao, de orientação revolucionária à beira do anarquismo, deixa bem claro seu lema: «Se rebeller est juste, désobéir est un devoir, agir est nécessaire!» – «Rebelar-se é justo, desobedecer é um dever, agir é necessário!». Não é um bloguinho à toa. Funciona há quase 13 anos, e está disponível em 4 línguas.

Sua edição de domingo 2 nov° 2014 dá destaque à visita feita ao Brasil por Elías Jaua, ministro venezuelano «para las Comunas y los Movimientos Sociales» e também vice-présidente do país «para el desarrollo del socialismo territorial».

Señor Jaua veio dar aulas aos dirigentes do MST. Tratou da «formação de ativistas revolucionários para conscientizar e organizar um povo que luta para construir uma sociedade socialista».

O programa é vasto. Quem quiser saber mais pode clicar aqui.

Interligne 28aRP Online
O portal alemão RP Online, da região Nordrhein-Westfalen (cidade de Colônia), repercute declaração de Romário, antigo futebolista profissional e hoje senador. Segundo o novo eleito da República, o Brasil tem de se contentar com o 7 a 1. Poderia ter sido bem pior.

Romário aproveita a ocasião para apresentar a lista das acusações que faz aos dirigentes do futebol brasileiro: corrupção, falta de informação política, enriquecimento ilícito de muitos, falta de experiência dos dirigentes, baixa qualidade do futebol.

E termina se queixando de «o Brasil não ter mais moral para mudar isso».

Na íntegra, o artigo está aqui.

Interligne 28aTelesurTelesur
O site internet do canal venezuelano de televisão Telesur – também conhecida como a «tevê do Chávez» – não deixou passar em branco a intenção que têm Brasil e Portugal de assinar projeto de telecomunicações para unir os dois países «sem a participação e a ingerência de tecnologias dos Estados Unidos».

A leitura do texto deixa claro que o importante, nesse rascunho de intenção de projeto, não é o fato em si, mas a “banana” que os lusófonos pretendem dar aos imperialistas.

Sem tecnologia americana? Hmmm… Quem viver verá.

Se algum leitor quiser saber de tudo, que clique aqui.

5 pensamentos sobre “Falam de nós – 1

  1. Falam de nós, com certeza. Não, não falam de nós, mas, deles, os que novamente estão aí, em pauta, tomando decisões a contra-gosto da nação brasileira… Nós, os pensantes, estamos debatendo coisas como:
    INTERVENÇÃO MILITAR? GREVE NACIONAL? QUEBRAMOS TUDO?

    QUEBRAMOS?

    Não temos mais oposição nesse país Brasil. Todos os dias as máscaras caem.
    O próprio Goldman, vice nacional do PSDB afirmou dia 01/11: (…)”apesar de o partido ter pedido uma auditoria especial no TSE sobre a apuração dos votos, não há indício de fraude eleitoral. “Apenas uma constatação de que o acompanhamento de todo esse processo é deficiente e pode ser melhorado”… Que não apoiam o Impeachment da Dilma…

    Então, é nós por nós mesmos.

    OK, GREVE GERAL. Eu duvido que os assalariados, que são maioria, vão colocar em risco o seu emprego, ou mesmo o pagamento de um dia por fazer greve… as manifestações são marcadas em sua maioria aos sábados, domingos e feriados por que mesmo?

    OK, QUEBRAMOS TUDO. Dia primeiro fui ao “passeio no parque do Ibirapuera”… sim passeio, pois, ninguém além dos próprios “passeantes” registraram e divulgaram as mais de 3.000 pessoas que ali estiveram “protestando contra a CORRUPÇÃO E CONTRA O PT”. Nenhum jornal da TV deu mais que 30 segundos de importância ao ato. Pergunto: Será que se quebrarmos os bancos, grandes comércios, invadirmos Brasília, resgatarmos os Anonimous, os black blocks, os mascarados, será que os próprios empresários/bancários pedirão a cabeça da Dilma? Será que assim vão expurgar o PT? Será que só restou essa saída, mexer no bolso de quem tem?

    Por outro lado, eu particularmente, ainda não me vejo agindo como selvagem. E, é muito fácil falar em quebra-quebra, quando não é um bem seu, conquistado à duras penas.

    OK, INTERVENÇÃO MILITAR. Ainda há muita resistência por quem viveu o golpe militar… Penso eu que se nada acontecer, como nada de novo vem acontecendo, que essa seja a última alternativa, valendo o risco de um golpe, pois, a maioria dos homens com poder nas mãos, perdem o juízo… mas, talvez a situação seja tão grave, que valerá correr o risco e pedir a intervenção militar… Se demorarmos muito, será que o próprio PT já não terá seu próprio exército escuso, treinado, dentre MSTs e outros, a fim de se defender?!

    Então, certo, intervenção militar. Mas, como falei, muitos temem e não há garantias de que não sairemos da boca do lobo pra cair na boca do urso. Ou há?

    Na internet, além divulgações sérias, existe uma enxurrada de boatos e mentiras, que corroboram com a insegurança, com a desorientação, com o medo!!! É preciso muita atenção para não se enveredar, se perder e se prejudicar – e para não prejudicar os outros.

    Olha quantas incertezas, ameças, dúvidas, temerosidades pairam em nossas cabeças… Os que tem cérebro, claro.
    E, sem sombra de dúvida, os mais afetados quando a situação chegar ao extremo, com certeza serão os mais “humildes” e os que escolheram o caminho mais fácil, os que apoiaram o PT.

    Mas, claro, estamos todos no mesmo barco.

    Qual sua opinião?

    Já pedi o número do celular do super man. Mas, ninguém me respondeu.

    Saudações José Horta Manzano. Que dias melhores venham, porque, os piores, já estamos passando.
    abs

    Curtir

    • Michele, li seu comentário e o que me veio a ‘telha’ foi alguém que saiu de uma vereda estreita, sem horizontes, mas propondo três alternativas: ‘intervenção militar’, ‘greve geral’, ‘quebra-quebra geral’.
      Fiquei com a impressão de que, com a inviabilidade das três propostas, de acordo com suas ponderações, só nos resta sentar e chorar… Ou procurar o telefone do Homem-Aranha…
      Realmente os caminhos que você aponta, além de serem o lugar-comum das discussões descomprometidas com o que acontece no país, passa a idéia de que estamos de joelhos diante da imoralidade que avassalou a república, submissa aos rincões bolsistas implantados por um “golpe democrático” calculado por um partido que acalenta o projeto de poder à moda venezuelana ou cubana. E assim, nada mais nos resta, senão silenciar diante da estapafúrdia esbórnia de uma democracia numérica, covardemente numérica…
      Mas não é bem assim… A vitória de Pirro do PT, conquistada com fraudes, mentiras, truculências de toda ordem,
      surpreendeu o país, e o próprio PT, que mensuraram a enorme insatisfação de 50 milhões de eleitores (ou mais, pelo menos para os que acreditam na empulhação de uma urna eletrônica (comprovadamente exposta a fraudes e rejeitada nos países civilizados), e de um TSE aparelhado), o que nos mostra o nascimento de uma oposição, até então silenciosa, talvez aguardando ordeiramente as eleições, para nascer nas primeiras manifestações que já estão acontecendo, sinal de que, como já se diz nos blogues e sites, pela pena dos melhores cronistas políticos, que o Brasil se dividiu, e que já não será fácil, nem tolerável a importação de “modelitos” autoritários, agasalhados pelo Foro de São Paulo.
      Mesmo à revelia do aparelhamento das principais instituições, da submissão da mídia televisiva e dos jornais de maior circulação, das principais Universidades infiltradas pelo estratégia do gramscismo, pela dominação dos grandes bolsões de pobreza – com a farta distribuição de bolsas e lorotas – mesmo à revelia da grande massa urbana, mais ocupada em sobreviver às agruras e dificuldades, do que pensar o Brasil – uma impossibilidade diante do nosso IDH, mesmo assim, sufocada, contamos 50 milhões que percebem o perigo que ameaça a liberdade, a democracia, a diversidade de pensamento.
      Esteja certa de que há uma quarta via, de natureza democrática, capaz de afrontar e apear esse pretenso projeto de se eternizar no poder. Esteja certa de que supostas “milícias e militantes organizados” não serão suficientes para impor o modelo – já fracassado das ‘ditaduras latinas’ – ao Brasil.
      Não somos uma republiqueta de fundo de quintal. Somos um continente… E hoje, a metade desse continente, sepultou o frágil projeto do golpe 8.243, e outros que ainda intentarão impor ao país.
      Sou grato a você por participar do grave momento que atravessa o Brasil, discutindo e levantando questões, sobretudo participando. Um abraço.
      m.americo

      Curtir

      • Em resposta a uma postagem de outro internauta que pedia impeachment, alguém disse que teriam que tirar também os milhões de eleitores do PT. Então, refleti que: não sabemos quem nem quantos são os eleitores do PT, que mais da metade do país não reelegeu o PT somando-se brancos, nulos, ausentes e aécios.
        Então, somos sim uma maioria insatisfeita com toda essa barbárie retrógrada que se passa com o país.
        Sim, amigo Mario, ao postar o comentário, me via sem horizontes e com um extremo repúdio a toda essa sujeira que esfregam em nossas caras todos os dias. E o pior, sujeira essa apoiada por pessoas que eu até considerava inteligentes, mas, a inteligência tem varias faces. E, uma delas, com certeza é a insanidade utópica de igualdade. A outra face é a astuta, de quem finge ser inteligente.
        Inteligente é aquele que eleva os potenciais dos seres humanos, aquele que cria oportunidades. Já o astuto, na pior de suas apresentações, é aquele que apenas suga do que já existe, apenas aproveita as oportunidades já criadas, apenas, exerce o poder através da anulação da capacidade dos outros, chegando ao ponto de escravizar até mesmo uma nação. Me refiro exatamente ao PT e todos os seus lobos.
        Concordo com tudo o que escreveu, principalmente no que diz respeito à farsa que são as urnas eletrônicas.

        No momento estou de olho na ladeira, de acordo com a sugestão do Sr. Manzano.

        Um grande abraço e obrigada por sua resposta.

        Curtir

  2. Pingback: O coqueiro e a ladeira | Brasil de Longe

  3. Michele

    Li atentamente os seus dois comentários e confesso que gostei muito do trecho em que você afirma:

    ” E o pior, sujeira essa apoiada por pessoas que eu até considerava inteligentes, mas, a inteligência tem varias faces. E, uma delas, com certeza é a insanidade utópica de igualdade. A outra face é a astuta, de quem finge ser inteligente.”.

    Isto também se passa comigo. Este também é o meu sentimento. Esta também é a minha grande decepção.

    Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s