A orelha e a pulga

José Horta Manzano

Petroleo 1Muita gente é afiliada ao CTC – Clube dos Teóricos do Complô. São pessoas que enxergam intenções ocultas em tudo o que acontece. Têm certeza, por exemplo, de que o homem jamais pousou na Lua. As imagens que estamos cansados de ver não passariam de cenas filmadas em estúdio.

Muitos há que entreveem, nos ataques que derrubaram prédios em Nova York, o dedo de autoridades americanas. Estaria o governo daquele país fabricando pretexto para invadir o Iraque.

Há ainda os que juram que Getúlio, João Goulart, Castello Branco e Juscelino não morreram de morte morrida, mas de assassinato.

Embora acredite que a verdade integral sobre os fatos raramente seja divulgada, não faço parte dos adeptos sistemáticos da teórica do complô. Assim mesmo, vez por outra, aparece alguma notícia que nos põe, digamos assim, a pulga atrás da orelha.

La Paz, Bolívia

La Paz, Bolívia

Na edição do domingo 1° fev° 2015, o caderno de Economia do importante diário boliviano La Razón traz matéria sobre a Petrobrás. Nem de longe menciona o «chega pra lá» que o folclórico Lula, então presidente de nossa República, levou em 2006, quando seu colega Evo Morales decidiu encampar as instalações bolivianas de nossa petroleira.

Petrobras 3O artigo dá notícia de que, no ano de 2014, a Petrobrás investiu um milhão de dólares em projetos de desenvolvimento social dirigido a bolivianos desfavorecidos. (Só para constar, observe-se que a operação Lava a Jato foi deflagrada já em março 2014.)

Foram quinze os projetos desenvolvidos em solo boliviano pela petroleira brasileira no ano passado. Beneficiaram diretamente 2850 famílias, sem contar outras 7000 que recolheram proveito indireto.

Não tendo a ser nacionalista exacerbado, muito menos em matéria de esmola. A miséria é global. Nenhum necessitado é mais merecedor que outro – estão todos no mesmo barco.

Assim mesmo, convenhamos, algo está mal contado nessa história. O destino final dos bilhões surrupiados da Petrobrás ainda está por ser revelado, se é que o será um dia. Do desvio de dezenas de bilhões, aparecem três milhõezinhos aqui, mais dois ali… e o resto? Usado para financiar campanha? Quá! É o povo quem financia a propaganda eleitoral.

Bolivia 2Não resisto à tentação de revelar o que a pulga, atrás da minha orelha, está sussurrando. Ela me diz que esse mísero milhãozinho aplicado em caridade na Bolívia é a parte miudinha de um manancial muito mais extenso. Não é senão a pontinha do iceberg. O grosso da ajuda talvez jamais venha a ser revelado.

A pulguinha me diz que um naco do dinheiro surrupiado ao povo brasileiro pode ter ido financiar interesses eleitorais além-fronteira. Para corroborar essa ideia, tivemos recentemente a renovação do mandato do presidente do país vizinho, reeleito pela enésima vez.

Pulgas nem sempre têm razão, mas insistem em cochichar atrás da orelha.

Interligne 18cSe alguém quiser ler o artigo do jornal boliviano, clique aqui.

2 pensamentos sobre “A orelha e a pulga

  1. Suspeito que essa pulga poderá ficar isenta de ser confundida com aquelas das teorias das conspirações corriqueiras, pois simplesmente pode estar dando um salto maior do que as pulgas simplesmente afoitas costumam executar. Neste caso, pode ser um salto quântico sobre todos os outros saltos. A minha orelha concorda.

    Curtir

Dê-me sua opinião. Evite palavras ofensivas. A melhor maneira de mostrar desprezo é calar-se e virar a página.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s